OS PRIMEIROS PEDIDOS GANHARÃO O BÔNUS (PÔSTER) COM MENSAGENS ESPECIAIS!
02
Dias
16
Horas
27
Minutos
39
Segundos
Imagem
Imagem
Imagem

O QUE VOCÊ VAI
RECEBER?

O E-Book "O Resgate de Isabela: Uma nova maneira de pensar a dor para crianças e cuidadores"
Em forma de poema de cordel  contamos a jornada de Vitor para ajudar sua amiga Isabela a retornar à sua "cidade do divertimento". 

Nessa caminhada Vitor e Isabela descobrem coisas FASCINANTES que podem faze-los sair da “cidade da dor” e a retornar ao divertimento.

Ao longo da leitura a criança e os adultos DESCOBREM que o cérebro tem uma participação muito importante na dor. Além disso os leitores descobrem que diferente do que ouvimos por aí, atitudes de continuar fazendo as coisas que gosta é melhor do que a inatividade e isolamento.

De uma forma muito agradável as crianças e adultos aprendem a usar a imaginação para aliviar a dor e aumentar conforto.  

O livro foi feito com muito cuidado por um dos maiores especialistas em educação e comunicação em dor do país - Rodrigo Rizzo.

O livro recebeu colaboração cientifica - Ph.D. Tiê Parma Yamato; colaboração literária de um dos maiores cordelista do Brasil - Gonçalo Ferreira da Silva; Ilustração do grande desenhista - José Alves da Silva.     

1

E ainda mais 3 bônus adicionais...

Bônus 1: O Video-Book "O Resgate de Isabela: Uma nova maneira de pensar a dor para crianças e cuidadores"
Vou enviar um link especial para acessar o VIDEO-BOOK! Toda história foi contada e interpretada na voz AGRADÁVEL de uma das maiores vozes femininas do país -Patricia Rizzo. Além disso, a história recebe efeitos de sonoplastia e fundo musical que tornam a experiência ainda mais INCRÍVEL.

É aquele tipo de história que sempre queremos ouvir novamente com os olhos abertos ou fechados. O formato em poema sempre nos surpreende!
2
Bônus 2: 8 coisas que toda criança e adultos precisam saber sobre a dor em texto, imagem e brincadeiras
As crianças terão a oportunidade de aprofundarem-se no processo imaginativo da história através de algumas brincadeiras combinadas á informações. Os adultos terão um guia para educar as crianças sobre dor.

1- Sentir DOR é normal
2- Dor não é a mesma coisa que machucado
3- Na MAIORIA das vezes DOR diminui SOZINHA
4- A criança precisa sentir-se SEGURA para AVISAR sobre a dor
5- O cérebro decide quando você vai sentir dor
6- O que acontece quando a dor CONTINUA existindo por meses ou anos?
7- O cérebro pode usar DICAS que ALIVIAM a dor
8- Faça a experiência de MUDAR sua dor AGORA
3
Bônus 3: SUPER pôster EXCLUSIVO da história "O resgate de Isabela"
Este pôster contém mensagens essenciais da história - O resgate de Isabela. Serve como uma bela decoração e reforço às experiências incríveis do livro.

4

Por que falar de DOR para crianças?

Curso Online Tratamento de Imagens
  • Sentir dor é normal e INEVITÁVEL! É uma experiência que seu filho ou qualquer criança terá em vários momentos da vida. Essa experiência pode gerar sofrimento ou oportunidade de aprendizado!
  • Como qualquer adversidade, a DOR pode ser uma OPORTUNIDADE de desenvolver atitudes e percepções vantajosas para a vida. Essas oportunidades podem vir e passar desapercebidas quando não sabemos o que fazer! 
  • Estudos recentes mostram que muitas crianças e adolescentes (30% deles) sentem dor persistente ou recorrente! Dor na BARRIGA, de CABEÇA, nas COSTAS, nos JOELHOS são as dores mais comuns na infância e adolescência.
  • Crianças podem desenvolver comportamentos DESVANTAJOSOS para lidar com a dor. Algumas respostas podem levar as crianças a se afastarem do convívio social e causar problemas de aprendizagem e relacionamento em suas vidas.
  • A falta de recursos adquiridos na infância ao sentir dor e a presença de dor recorrente são fatores de risco para a depressão, ansiedade e suicídio na fase adulta!
  • O que uma criança faz e como a criança percebe o que está acontecendo ao sentir dor pode desviar seu caminho para a "cidade da dor persistente". Muito do que uma criança faz é APRENDIDO com os adultos ao seu redor!
  • Estudos recentes sugerem que COMO os PAIS reagem quando um filho tem dor está associado com a experiência da dor de seus filhos!

Satisfação garantida
ou seu dinheiro de volta

Até 15 dias depois do pagamento, você pode cancelar por qualquer motivo, e devolvemos todo o valor pago.

Quem vai aproveitar o livro além da criança...

Imagem1

Qualquer pai ou mãe


Já imaginou criar uma experiência INCRÍVEL com seu filho para prepará-lo para as adversidades da vida? Os pais são as grandes referencias para seus filhos. Os pais são os primeiros contadores de histórias à seus filhos. As histórias são capazes de plantar sementes que crescem, para um dia a criança subir no alto de uma árvore e ver o mundo cheio de possibilidades.
Imagem2

Professores

Professores precisam ter "cartas na manga"! 
Já imaginou ter um conteúdo COMPROVADO para ensinar seus alunos a lidarem melhor com experiências inevitáveis de dor em suas vidas?
O professor pode começar a aula com a história "O resgate de Isabela". Depois fazer perguntas e as brincadeiras (exercícios) para seus alunos compartilharem suas experiências de dor e superação.  Os alunos podem ter a oportunidade de aprenderem como podem mudar a experiência de qualquer desconforto através da imaginação.  
Imagem3

​Terapeutas ou profissionais da saúde

Já imaginou ter vários recursos terapêuticos para temperar sua sessão com crianças?
Tratar criança é um desafio porque o profissional precisa ter opções para se adaptar aos interesses da criança. O livro "O resgate de Isabela" é um material essencial e único recheado de possíveis maneiras de utilizar em uma sessão de psicoterapia, fisioterapia, consultas médicas, dentro de um hospital pelo enfermeiro... Apesar do tema central do livro ser DOR, a linguagem metafórica faz a criança ajustar a historia para sua realidade atual.
Imagem

Agradecimento 
especial para os apoiadores desse projeto

Apoiadores por financiamento coletivo! Sem vocês esse projeto não existiria!
AMIGOS APOIADORES:
Alexandre Cassolini, Andrea Zupo Maynart de Oliveira, Cristiane Liz Saggal Cassolini, Cristiane Midori Yamauti Saggal, Cristina Yamauti, Daniel Zupo, Erika Yuri Kamitsuji Ferreira, Fernando Yudie Ossada, Gabriela Yukie Yamauti, Hugo Yudi Rizzoli Takeshiro, Jorge Kamitsuji, Jucemara S. L. Alves, Leo Costa, Lucíola Menezes Costa, Magda Mugnol Rocha, Marcia Maria Mugnol, Maria Amelia Amaral Saragiotto, Nilva Massumi Hanzawa Kuniyoshi, Otavio Castanho, Raquel Simoni Pires, Robson Hirata, Rodrigo Petrone, Rogerio Saggal, Veronica Sterzek Lin, Shinji Yamauti, Solange Fecuri, Sophia Akemi Kamitsuji Ferreira, Tânia Regina Parma, Tatiane Ichitani, Valteir Bernardes Borges, Victor Yudji Nakaharada Kokubo, Vivian Mari Inoue, Wanderley Nogueira, William Lin.

EMPRESAS APOIADORAS: 
INSTITUTO I9C TREINAMENTOS
LOJÃO DO BAIXINHO 
PERFUMARIA SUMIRÊ

CONSULTORES
Científicos: Tiê Parma Yamato e Bruno Saragiotto
Literários: Gonçalo Ferreira da Silva e Norival Leme Junior
Ilustração: João Alves da Silva
Narração: Patricia Rizzo
Produção áudio e video: Adolfo Carolino
Autor: Rodrigo Rizzo
Imagem

Quer saber mais sobre dor em crianças e adolescentes?

1- Sentir dor é normal (pelo menos no início)

2- Dor não é a mesma coisa que lesão ou machucado

3- Na maioria das vezes a dor diminui sozinha

4- A criança precisa sentir-se segura para avisar quando tem dor

5- O cérebro decide quando você vai sentir dor

6 - O que acontece quando a dor continua existindo por meses ou anos?

João Maria

Sobre o autor

Rodrigo Rizzo é pai da Julia e do Thomas e está cheio de sobrinhos especiais como a Clara Morena, o Kaique, a Yasmin, o Kenzo e o Victor.

É mestre em fisioterapia e tem experiência clínica no manejo de pessoas com dor crônica há mais de 15 anos. Atualmente, Rodrigo Rizzo é doutorando pela University of New south Wales - Australia. Tem como interesse entender como potencializar o funcionamento do cérebro para aumentar os benefícios no tratamento da dor.

Rodrigo Rizzo é idealizador do "Mapa da Dor" - Uma nova maneira de pensar a dor. É reconhecido internacionalmente pela sua capacidade de transformar conhecimento complexo sobre a dor em algo compreensível para todos.
Feito com