Abordagem Biopsicossocial através da Educação em Pacientes com Dor (destinado a qualquer profissionais da saúde)

Curso exclusivo com metodologia própria! 

Cópia-de-Mapa

Por onde uma pessoa com dor está passando?

Qual é o “peso” dos fatores físicos, psicológicos, sociais e comportamentais na experiência da dor de um paciente?

Como presumir a atividade encefálica de um paciente com dor?

Como atuar diretamente na atividade encefálica de um paciente com dor para facilitar a recuperação?

Objetivos

– Informar os achados recentes sobre neurociência que apoiam o modelo de tratamento biopsicossocial

– Oferecer uma linguagem comum para os profissionais da saúde favorecendo um relacionamento mais multi e interdisciplinar favorável para o manejo da dor;

– Oferecer um raciocínio clínico que pode ser utilizado por qualquer profissional e que pode ir ao encontro de intervenções recomendadas pela evidências cientificas mais atuais no manejo da dor;

– Capacitar os profissionais a identificar naturalmente em uma entrevista e por questionários validados, aspectos biopsicossociais relacionados a experiência da dor do paciente;

– Apresentar e praticar métodos educacionais que vão ao encontro de cada um dos fatores biopsicossociais encontrados no paciente.

Conteúdo do curso

– Os três elementos da educação que influenciam os efeitos no tratamento de pacientes com dor crônica. A importância do conteúdo apresentado, a maneira de passar a mensagem e o estado do terapeuta e do paciente.

– As principais diferenças entre estratégias de educação antigas (baseadas no modelo biomédico) e estratégias atuais (baseadas no modelo biopsicossocial).

– As vantagens do modelo atual de educação em pacientes com dor crônica e seus efeitos baseados em evidência para intensidade da dor, incapacidade e aspectos psicossociais. O que você pode esperar de benefícios ao oferecer educação moderna isoladamente ou em combinação com outras intervenções?

– Como educar o paciente sobre prognóstico, curso clínico, fatores causais, fatores de risco, fatores prognósticos, anatomia, biomecânica, neurociência da dor…

– Conhecimentos modernos sobre a dor trazidos da neurociência que podem ser usados para construir raciocinio clinico e educar pacientes com dor (nocicepção, sensibilização central, alteração no processamento central, modulação da dor em diferentes níveis, funcionamento das diferentes áreas do cérebro que trabalham juntas para construção da dor).

– Fatores biopsicossociais que influenciam a experiência da dor.

– Raciocínio clinico com o “Mapa da Dor”. Colocando seu paciente em uma perspectiva biopsicossocial.

– Avaliação de um paciente com dor para encontrar alvos terapêuticos (perguntas chaves abertas, fechadas, enviesadas).

– Conhecendo as resistências do paciente ao tratamento oferecido.

– Lidando com as resistências para aumentar os efeitos da intervenção. Diferença entre as mensagens oferecidas ao paciente: factuais, agressivas, encorajadoras, empáticas, empáticas transformadoras).

Resultados esperados

– Desenvolvimento de raciocinio clinico biopsicossocial;

– Utilização de abordagens biopsicossociais;

– Utilização de programas educacionais mais eficazes destinados aos pacientes com dor crônica;

– Atualização dos profissionais sobre o tema – Dor;

– Melhora da comunicação entre os profissionais de equipes multi e interdisciplinares.

Ministrante

Rodrigo Rizzo possui graduação em Fisioterapia. Foi colaborador e pesquisador do Grupo de Dor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) por 5 anos. Tem formação nacional e internacional em diversas abordagens terapêuticas voltadas ao tratamento e prevenção da dor crônica. Realizou pesquisas cientificas no Departamento de Ciências Fisiológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo na área de dor por 2 anos. É membro da Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor (SBED); International Association for the Study of the Pain (IASP). Mestre em Fisioterapia pela Universidade Cidade de São Paulo (UNICID) com o tema de pesquisa: Hipnose aumenta os efeitos da educação sobre neurofisiologia da dor em pacientes com dor lombar crônica não específica: Ensaio Controlado Aleatorizado. Realiza atendimentos como fisioterapeuta no Instituto do Movimento (www.institutodomovimento.com.br), realiza consultoria em centros de dor, e desenvolve programas educacionais em dor www.MapaDaDor.com.br. Mais informações na plataforma lattes – http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4202271H6

Público alvo

– Profissionais que lidam com pessoas com dor (fisioterapeutas, médicos, psicólogos, farmacêuticos, biomédicos, educadores físicos, enfermeiros, técnicos em  enferma, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, nutricionistas).

– Acadêmicos das mesmas áreas citadas acima que tenham interesse em dor.

– Todos esses profissionais podem utilizar a educação como intervenção. Cada profissional vai ajustar sua maneira de utilizar essa intervenção. O interessante é que podemos aprender como utilizar em diferentes contextos com um raciocínio clinico unificado.

Data

11 e 12 de março em São Paulo – SP – VAGAS ESGOTADAS

03 e 04 de junho em Salvador – BA – Inscrições – spineclinica@gmail.com

CONTRATE PARA SUA CIDADE enviando e-mail para RodrigoRizzo@MapadaDor.com.br

Carga horária total: 16 horas

Investimento

Entre em contato com os organizadores.

CONTRATE PARA SUA CIDADE enviando e-mail para RodrigoRizzo@MapadaDor.com.br 


 

Caso você tenha interesse de organizar este curso, favor entrar em contato aqui.